12/09/2005

Made in Portugal-4

Pão de Negrais de Ercilia Rosa Paulino Antunes- Negrais, Portugal Um dos melhores pães que até hoje comi! (Ainda estou para comer o pão quentinho do Azinhal, Beja que depois torrado nas brasas é muito bom. Mmmmm) O L. diz que este de Negrais é quase tão bom como o do Azinhal. Este pão saloio sabe e cheira como se fosse cozido a lenha...e é. Quando esteve cá um primo meu mais o amigo dos EUA, eles adoraram. O Noah pediu-me para comprar para a Amanda quando ela chegou tambem. Em Sintra, està há venda no supermercado Ponto Fresco na Estefânia ou claro em Negrais que também é famoso pelo leitâo assado.

4 comentários:

Patrícia disse...

Pão cozido a lenha... que saudades...

Rodrigues disse...

Eu e o J. ficámos a adorar esse pão, que vocês nos deram a conhecer.


Pena que para onde vou agora não haja... :-(

sonia disse...

quando estava gravida tinha desejos descontroladissimos de pao de mafra torrado. agora estou outra vez a ter so de olhar para esse de negrais que devem ser divinal e em forno a lenha. fornos a lenha sao por aqui proibidos por questoes ambientais e o pao tao sintetico que chega a durar 3, 4 dias tal a quantidade de conservantes!

Sandra Pereira disse...

Para mim e para o L, meu chato irmão mas amadíssimo pela sua irmã mais velha o pão alentejano do Azinhal [monte alentejano que fica a 20 km de Beja e a 10 (acho) de Mértola)(que é feito no Algodor e vem por volta das 5 numa camioneta pequena a apitar, e que era quase sempre ele que ia comprar, pois é homem que trabalha em tudo, ou quase).
Chegava ele com o saco (de pano a retalhos claro) com dois ricos pães e toca a mãe a fazer para os famintos pequenos 2 fatias para o L. 2 para mim e 2 para a prima T. e depois ía-mos para a fresca comê-los deleitados.
No outro dia, a mesma coisa na questão da compra, mas não na ingestão do lanche. Pois tão bom ou melhor que o fresquinho pão alentejano do Algodor torrado nos tripés da lareira (enorme e boa para conversas da noite) que também eram barradas com manteiga que derretia; a quantidade a mesma o sabor, diferente mas tão bom como o outro e claro, lá ía-mos para a fresca.
O de Negrais, ai o de Negrais, fui mal habituada pela Saloia que volta e meia me manda um ou dois pelo L, ou traz-me ela, ou quando lá vou dá-me um saco com ela (não digam nada a ela, mas só gosto dela por isto, :))
Sandra