30/10/2010

10.30.2010

Tenho quatro pedaços de titânio na coluna. Foram colocados numa operação já lá vão cinco ou seis anos. Para recuperar da cirurgia passei dois meses na aldeia da minha avó no Minho. Ao entardecer, quase todas as noites (para o fim já tinha encontrado outro espaço), a "Marilyn" tecia a teia dela na esquina das grades do jardim. Uma teia enorme mas ela também era de grande porte e tinha umas pernas formosas. Eu todas as noites esperava a Marilyn e ficava espantada com a técnica dela, a arte dela. Mirava e admirava ela por a próxima hora enquanto ela criava aquilo que a ajudava a sobreviver. A perfeição em moção. Nunca me esquecerei da Marilyn....

3 comentários:

Sandra disse...

Que momentos tão bons.
Gostava de conhecer a Marilyn.
Porquê esse nome?

saloia disse...

pelas pernas formosas :)...como a M. Monroe

Anónimo disse...

Fantástico! Uns vêm maravilhas, onde outros nada vêm...!
Feliz o que sabe apreciar todos os detalhes, por mais pequeninos que sejam, da Criação :)