08/05/2009

copos para galão

copos da Crisal

Ainda estamos a trabalhar para abrir a nossa Saudade!

A propósito, visitei o Braz & Braz (desde 1777) na baixa de Lisboa para ver copos para bebidas de café. No final das ferías de verão com os meus pais nos anos 80 era obrigatório uma paragem no Braz & Braz para comprar qualquer novidade ou (oldie but goodie) como os calices pequenos para whiskey ou um gadget para a cozinha. Para mim o Braz & Braz brilhava com as suas louças com desenhos, o aço inoxidavél e o orgulho dos vendedores. Antes havia muitos vendedores e mais clientes. Agora nem tanto.

Gostei tanto de relembrar as idas ao Braz & Braz com os meus pais, manas, tios e avos nos anos 80. Depois apanhavamos o ferry para Caçilhas para comer marisco, como sapateiras, gambas e camarão e muitas imperiais em canecas. Uma festa.

Gostei gostei.

We are still working to open our tea house, Saudade!

Recently, I visited Braz & Braz (since 1777) in downtown Lisbon to look for glasses for coffee drinks. Braz & Braz was an obligatory stop for me and my family at the end of our summer vacations in Portugal in the 80´s. Here, we would buy the latest novelty item for the home or oldie but goodie such as tiny whiskey glasses and kitchen gadgets. For me, Braz & Braz shined with the its collection of patterned dinnerware, stainless steel, and the salespeople´s pride for working in such a place. There were many vendors and even more clients. Now there are few.

I liked remembering our visits to Braz & Braz with my parents, sisters, aunts, uncles and grandparents. Afterwards, we would catch the ferry to Caçilhas where we would go for the best seafood, like crab, shrimp and lots of beer from the tap in big mugs. A party.

Such a pleasure to remember.

5 comentários:

Virgínia disse...

a minha avó também me levava lá. Tantos vendedores, tanto movimento... era bonito de se ver!

ana lebre disse...

:):):)

Patrícia disse...

Olá!
Espero que a saudade abra rapidamente; o espaço está demasiado perfeito para que não seja conhecido pelo mundo por muito mais tempo.
Já agora tenho de confessar uma coisa; quando nos conhecemos a semana passada (fomos as pessoas que te fomos bater à porta....) não te disse uma coisa que agora acho que devia ter dito. Há um espaço na rua de baixo que gostava de abrir e tinha pensado inicialmente numa pequena casa de chá. Mas depois de entrar na tua "Saudade" deixou de fazer sentido. É tudo o que me faz sentir em casa e a partir daí tudo o que partilhámos foi o mais sincero possível. Espero que não fiques ressentida comigo mas não queria que soubesses por mais ninguém que não por mim. O blog é, por enquanto, a única forma que sabia ter para te poder contar.
Ainda não sei o nome do outro chá de S. Miguel (tenho de falar com a minha colega) mas não está esquecido.
Patrícia

FLYHIGHER disse...

Ola,

Sou o namorado da Patricia.

É verdade, quando dei uma olhada por entre as folhas de jornal que tapam os vidros da "Saudade" e vi o que vi...a nossa ideia de casa de chá para o espaço que temos em vista, caiu por terra...

Faltou-nos a coragem para dizer aquilo que deviamos na altura certa, mas foi um choque e uma alegria ao mesmo tempo. Choque por vermos que ja nao era viável fazer o que queriamos, alegria porque sinto que tenho ali um espaço para ir quantas vezes me apetecer e puder e para levar todos os meus amigos e familiares.

E a Mary é uma pessoa que cativa desde o primeiro minuto, o que vai ajudar ao sucesso do projecto!

Mary...ADOREI!

saloia disse...

Olá Casal Simpático que bateram à porta da Saudade!

Não fico NADA chateada pelo "segredo" que não me contaram e nem tinham de contar mas obrigada pela sinceridade e pela simpatia das vossas palavras aqui escritas.

Fico contente que tenham vontade de voltar ao nosso espaço e tenho a certeza que vamos partilhar bons momentos.

Deixo aqui o meu email para me escreverem e saber qual os vossos contactos:
asbravasarrobagmailpontocom

beijinhos e muitos abraços aos 2.


Mary